Resenha: "Placas Tectônicas" de Margaux Motin

Saudações Leitores!
Ah, estava morrendo de saudade de ler quadrinhos e Placas Tectônicas chegou na hora bem certinha para eu ler... resultado? Adorei, amei e quero que vocês leiam a resenha, pois aponto os motivos de eu ter gostando tanto... 

>>> Para saber mais sobre o exemplar, clique AQUI.


Placas Tectônicas, Margaux Motin, São Paulo: Nemo, 2016, 256 pág
Traduzido por Fernando Scheibe

Las Tectonique des Plaques (2013) no Brasil Placas Tectônicas, é o primeiro livro da desenhista e quadrinista francesa Margaux Motin publicado no Brasil e trata-se, claro, de um livro em quadrinhos que é meio autobiográfico.

Margaux Motin vai contar através deste quadrinho seus acertos e principais erros durante seus 35 anos de idade, como foi sua separação, como foi criar uma filha sendo mãe solteira, como foi se jogar numa nova relação e como ela modificou sua vida, como é sua relação com a filha, com sua mãe e amigas.


Placas Tectônicas pode parecer um livro simples e o próprio "tom" que Margaux Motin utiliza durante a "narrativa" é um tom humorístico, irônico, engraçado - um rir de sua própria desgraça -, mas o que percebemos durante a leitura dos quadrinhos é a importância de se pensar nas ações, porque algumas decisões podem, sim, serem desastrosas se não forem pensadas com cautela.

Margaux Motin é muito engraçada e isso é o diferencial deste livro: até nas piores situações ela não quer se fazer de coitada, nem apontar um culpado e tirar o "peso" de suas costas, ela nos faz rir e consequentemente nos mostra o quanto pode lutar para melhorar.


Eu simplesmente adorei Placas Tectônicas poque ele é REAL, tem uma visão realista sobre o amor e as responsabilidades, não há um romanceamento dos fatos, tornar coisas bonitinhas e agradáveis para fazer marketing ou nos fazer suspirar e dizer "Que coisa fofa". NÃO. Placas Tectônicas é realista o suficiente para mostrar que a vida tem seus altos e baixos e que o amor é algo imprescindível e pode surgir com mais ou menos intensidade, sobretudo o amor é o resultado de algumas escolhas que podemos ou não fazer.

Finalizei Placas Tectônicas com uma sensação boa: independência. Margaux Motin mostra que amar, estar acompanhada é ótimo, mas que uma mulher pode ter bastante sucesso e felicidade estando solteira também. Para quem está cansado de ler "contos de fadas" é uma boa dica de leitura desbravar as páginas de Placas Tectônicas.

2 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, mas gostei! Realmente eles parecem reais o que deve tornar a leitura ainda mais atrativa.

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é muiiiiiiito bom, amo demais HQs e essa me conquistou completamente.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!