Resenha: "Nem Tudo Será Esquecido" de Wendy Walker


Nem Tudo Será Esquecido, Wendy Walker, São Paulo: Planeta, 2016, 288 pág.
Traduzido por Maryanne Linz

Saudações Leitores!
Assim como amo livros de fantasia sou obcecada por livros sobre thrillers psicológicos, portanto eu não podia deixar de conferir o livro All is not forgotten (2016), no Brasil publicado com o título Nem Tudo Será Esquecido, escrito pela norte americana Wendy Walker.


Não sei nem como começar essa resenha, porque Nem Tudo Será Esquecido me deixou sem palavras, o livro foi de encontro com minhas expectativas embora tenha tido alguns momentos que me incomodaram, mas nada me surpreendeu mais com a resolução final.


O livro é basicamente um relato de fatos e sessões de terapias e gira em torno de Jenny Kramer (15 anos) que foi violentamente estuprada e violentada durante uma festa em que ficou embriagada, os pais de Jenny (Tom e Charlotte) ficam absurdamente chocados com os fatos e acabam por decidirem fazer com que Jenny faça parte de um tratamento em que esqueça todos os fatos sobre o estupro e aquela noite, essa decisão está embasada no intuito de tornarem a vida de Jenny menos traumática.

"Jenny não tinha lembrança do estupro, mas o terror vivia em seu corpo. A memória física, a resposta emocional que estava programada nela, não tinha nada a que se apegar, nenhum conjunto de fatos para contextualizar. Então aquilo vagou livremente dentro dela. A única coisa tangível que sobrou da violência foi a cicatriz do entalhe." (p.42)

Nem tudo ocorre do jeito como o planejado e aparentemente o "tratamento" não é 100% confiável, isto é, ela pode esquecer tudo, mas também pode lembrar. De início Tom é contra pois ele acredita que o estuprador deve ser encontrado e punido, mas se Jenny passar por esse tratamento ela não poderá ajudar em nada nas investigações. Mas Charlotte insiste que é o melhor para a filha.


Com o passar do tempo Jenny sente-se absolutamente frustrada e triste por não lembrar de algo tão terrível que lhe aconteceu, de não guardar nenhum sentimento ou lembrança, sua frustração é tanta que tenta o suicídio. É a partir daí que a história começa de fato a acontecer, pois tanto Jenny, quanto os pais começam a fazer sessões de terapia, cujo objetivo é tentarem costurar os acontecimentos e fazer com que a adolescente possa recuperar suas lembranças.

O terapeuta é o narrador que vai expondo tudo o que sabe e escuta de seus pacientes, esse ponto é fabuloso, até porque no princípio do livro não sabemos que está contando a história, mas aos poucos isso vai se delineando. No entanto, a narrativa do terapeuta não é linear, ela oscila entre os encontros com os pacientes (Jenny, Tom e Charlotte) e o que acontece com outros pacientes e com sua própria família. É uma grande teia. Muitas vezes ele começa contando uma coisa e se antecipa para o final, mas depois decide contar mais detalhadamente, então, esse tipo de narrativa, exige uma atenção redobrada.


Confesso que havia momentos que eu ficava meio perdida e sem entender porque daquela informação, mas o incrível é que no final tudo faz sentido e cada pequeno detalhe se torna muito importante.

"Com lágrimas caindo e a voz ecoando o choro com aquele som horrível, ela finalmente foi ouvida e, então, salva. Desde aquela noite, ela se perguntou sem parar por que nada dentro dela - seus músculos, sua razão, sua vontade - tinha sido capaz de deter o que aconteceu. Ela não sabia se tinha tentado lutar contra ele e gritar por ajuda ou se apenas desistira e deixara acontecer. Ninguém a escutou até que estivesse acabado. Ela disse que agora entende que, ao final de cada batalha, restam o conquistador e o conquistado, o vencedor e a vítima, e que aceitara a verdade: ela fora total e irrevogavelmente derrotada." (p.11)

Também devo admitir que em alguns momentos da narrativa fiquei um pouco entediada, pois Wendy Walker foi muito detalhista em algumas partes e muito técnica em outras, o que é bom porque dá um ar de "verdade" à ficção.


Nem Tudo Será Esquecido é um livro questionador e ao mesmo tempo que é uma forma de entretenimento, aborda temas fortes e sérios, infelizmente há muitas mulheres que são abusadas sexualmente e acabam não denunciando o fato, e muitas vezes esquecer não é o melhor que se pode fazer, porque não há justiça nenhuma em fugir dos problemas, mas poderá haver justiça se você enfrentá-los. A questão do terapeuta que tinha alguns interesses particulares durante a investigação, também prova que nem todo profissional consegue ser impessoal com alguns casos. Vale a pena refletir!

Por fim, esse livro é forte, a escrita é inteligente e não é tão fácil, então exige um leitor atento e com tempo para poder "degustar" todas as nuances do enredo, mas está aqui uma excelente dica de leitura, sobretudo para os apaixonados por thrillers psicológicos.

4 comentários:

  1. Oi, olá!

    CARAMBA, QUE LIVRO É ESSE? EU PRECISO DELE AGORAAAA! Meu Deus, que enredo interessante, coisas psicológicas assim sempre me chama muito atenção, ainda mais com casos como esse... em que você pode vir a desenvolver uma empatia muito grande pela personagem que sofreu... Preciso muito ler D':

    /Beijocas da Saroca - interesses-sutis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sara,

      achei a leitura muito muito boa, apesar do que eu comentei de ter me incomodado muito os "mínimos detalhes" mas no final tudo conduz para uma maior verossimilhança no enredo e na narrativa. Achei muito bem escrito.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Oi,Mila!
    Eu também fiquei de cara com aquele final. Amei o livro, mas confesso que fiquei bem exausta após a leitura. É um livro cheio de detalhes que podem passar despercebido. Já anotei o nome da autora pra ficar de olho nos seus próximos livros. Amei a resenha.
    Bj grande.
    Zilda Peixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilda,

      pensei que tinha sido apenas eu que ficou cansada com a leitura e tentando ligar todos os pontos, porque minha cabeça não parava de pensar.... "nossa agora fez sentido aquilo"... "por isso que tinha aquilo"... "uau aquela informação era uma pista"... fiquei eletrizada com o desenrolar... Muito bom. Também gostaria de ler outro livro da Wendy Walker, boto fé nessa escritora.

      xoxo
      MilaF.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!