Resenha: "O Herdeiro Guerreiro (As Crônicas do Herdeiro, vol.1)" de Cinda Williams Chima


O Herdeiro Guerreiro (As Crônicas do Herdeiro, vol.1), Cinda Williams Chima, Sâo Paulo: Farol Literário (DCL), 2008, 512 pág.
Traduzido por Claudia Martins

Saudações Leitores!
Já faz algum tempo que comprei O Herdeiro Guerreiro (The Warrior Heir, 2006) , mas venho adiando a leitura e nem sei o motivo, simplesmente comprei, coloquei na estante e lá ficou, mas no começo do ano respondi uma TAG falando sobre 16 livros que eu pretendia ler em 2016 (AQUI) e este estava entre eles.

O Herdeiro Guerreiro é o primeiro romance de Cinda Williams Chima ganhador de algumas premiações, trata-se, inclusive, do primeiro livro da série As Crônicas do Herdeiro, sucedido pelos volumes: O Herdeiro Mago (The Wizard Heir, 2007), O Herdeiro Dragão (The Dragon Heir, 2008), O Herdeiro Encantador (The Enchanter Heir, 2013) e The Sorcerer Heir (2014) ainda não foi publicado no Brasil.



De início eu sempre acreditei que o livro trazia uma história que se passava nos tempos medievais, mas podem tirar isso da cabeça, a história se passa em nossa contemporaneidade, apesar de que tem muita relação com a antiguidade, pois o personagem principal é um herdeiro de várias e varias gerações e séculos atrás (isso é explicado quando ele descobre sua história).

"A espada arde na mão de Jack ao brandi-la, um casamento de homem e metal, carne e aço. Feroz e primitivo. Ele se expandiu, estendendo-se ao longo da lâmina, e espada lançou luz e sombra por sobre a grama, iluminando as pedras inclinadas. A lâmina cantava ao cortar a escuridão, uma, duas, três vezes, dividindo-a, deixando um rastro de luz. Matadora da Sombra." (p.132)

Para melhor explicar: em O Herdeiro Guerreiro conhecemos Jack, um adolescente com 16 anos que leva uma vida relativamente normal se não fosse pelo remédio que tem que tomar todos os dias e pela cicatriz em forma de estrela no peito, acontece que, um dia, ele esquece de tomar o remédio e esse dia é bastante atribulado, culminando numa explosão de poderes de Jack, os quais ele não compreende. 


A partir deste momento, sua tia Linda entra em ação e tenta explicar o máximo que pode a verdade sobre a vida de Jack, isto é: que ele é um dos últimos guerreiros Weirlind de um grupo formado por várias ordens (Guerreiros, Magos, Encantadores, Adivinhos e Feiticeiros) que estão em guerra pelo poder há vários séculos e essas guerras acontecem através dos Guerreiros conseguidos ou pela Rosa Branca ou pela Rosa Vermelha (vulgo Magos) que os "dominam" e os levam para os Jogos, onde há várias regras, mas a principal é que um dos guerreiros tem de morrer enquanto a comunidade mágica assiste. O Guerreiro vencedor dá a liderança dos Magos ao seu patrono (Rosa Branca ou Vermelha).

"Não vou me desculpar pelo que sou. Quero que você tenha orgulho de quem você é, também. Sei que isso não é fácil de ouvir, mas estou feliz de poder finalmente lhe contar a verdade." (p.165)

Assim que comecei a ler, confesso que não cai imediatamente de amores pelo livro, mas depois que as coisas foram se explicando e as ideias foram se acertando eu entrei no livro e não tinha mais vontade de largar. Achei estranho no princípio e misterioso demais, mas depois de várias páginas me situei.


Não vou dizer que O Herdeiro Guerreiro é um livro perfeito, não é, aqui e acolá percebemos uns furos e incoerências, mas eu gostei tanto da leitura que relevei esses detalhes ao fato de ser o primeiro livro de Cinda Williams Chima além do primeiro de uma série, ou seja, muita água ainda vai rolar e alguns detalhes deverão ser explicados nos volumes sucessores.

"Eles lutavam porque adoravam a dança e o peso de uma espada em suas mãos. O choque e as faíscas saltando do metal e os sibilos da chama eram como uma música escrita especialmente para eles. Eles lutavam pela glória, não por sangue. Eram Weirlinds, herdeiros da pedra de guerreiro. E eles sempre dormiam melhor com as espadas sob suas camas." (p.511)

Acerca dos personagens devo confessar que é impossível detestá-los, mesmo os mais sorrateiros, todos os personagens foram bem construídos. Vou dar destaque aos amigos de Jack: Will e Fitch, acredito que são os melhores amigos EVER e tem papel fundamental no livro, pois apesar de não serem dotados de poderes mágicos eles são capazes de arriscar a própria vida uns pelos outros. Ellen Stephenson - a garota por quem Jack tem uma quedinha - também é uma fofa. Linda, tia de Jack também é uma personagem maravilhosa.


Apesar de O Herdeiro Guerreiro ser um livro teen, não consigo imaginar um adulto que curta histórias medievais, de aventura, guerras, magia não apreciando e gostando do resultado da obra, ou seja, é um livro indicado para todas as idades. Atrevo-me a dizer que o livro não tem o destaque que merece: não é muito divulgado, é difícil de ser encontrado em livrarias (mais fácil pelas lojas virtuais online) e não há tantas resenhas disponíveis o que é uma pena, mas espero tê-los incentivado a lê-lo através dos comentários traçados. 

Uma coisa é certa: já me sinto ansiosa pelo próximo volume...

2 comentários:

  1. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, como você o descobriu?
    Também não conheço a escritora, mas fiquei superinteressada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhurrrrr...
      se eu lhe incentivei a ler já fiz uma grande ação. Esse livro é lindo e muito bom.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!