Resenha: "Príncipe Partido - Série The Royals - Livro 2" de Erin Watt

Príncipe Partido - Série The Royals - Livro 2, Erin Watt, 
São Paulo: Planeta/Essência, 2017, 352 pág.
Tradução: Regiane Winarski
COMPRAR: Amazon, Saraiva

Saudações Leitores!
Broken Prince no Brasil, Príncipe Partido é o segundo livro da série The Royals escrita por Erin Watt pseudônimo das escritoras Elle Kennedy e Jen Frederick.

Quem acompanha o blog já deve ter visto minha resenha e vídeo resenha sobre o primeiro volume da série Princesa de Papel (vídeo) que me deixou incrivelmente apaixonada não só pelo enredo como também por cada uma dos personagens principais e essa família peculiar e incrível: os Royals. Aliás, se você não gosta de spoiler, não leia esta resenha, pois tive que tocar em alguns pontos do volume anterior para poder falar desse livro, ok?
Após os acontecimentos de Princesa de Papel com aquele final absurdamente empolgante e louco é claro que minhas expectativas estavam para lá de altas em relação a Príncipe Partido, pensei até em pegar a edição em inglês para ler, mas fui adiando e a edição nacional foi publicada e corri para o abraço. Só tenho uma coisa para dizer: Esse livro conseguiu superar minhas expectativas e novamente - ao final do volume - sinto-me ansiando pelo próximo. Há tempos não fico tão eufórica por um livro assim, sobretudo levando em consideração que não curto muito YA's.
"Nós contávamos mentiras um para o outro. Mentíamos para nós mesmos porque não estávamos dispostos a admitir a verdade: não conseguíamos resistir um ao outro."
Aqui sofri muito junto com o personagem principal, Reed Royal, porque após a fuga de Ella o rapaz e toda a família Royal ficam perdidos, pois a maravilhosa Ella conseguiu mudar em vários aspectos os relacionamentos frios dos Royals.
"Antes de conhecer você, minha vida era uma merda. Mas eu aguentava porque não tinha alternativa. Nunca me importei em não ter meu pai por perto, porque eu tinha a minha mãe. Quando ela morreu, eu disse para mim mesma, eu disse para mim mesma que devia ficar agradecida, porque ela estava sentindo tanta dor. Aí, eu vim para cá e conheci você e pensei que nós sentíamos a mesma coisa. Eu pensei: Esse garoto perdeu a mãe. Ele está com raiva e magoado, e eu entendo isso. Talvez ele me entenda também."
No entanto, em Príncipe Partido, com a fuga de Ella os Royals acabam ficando uns contra os outros, continuam cheios de segredos e com ânsia de vingança cometendo erros atrás de erros. Mas quando Ella é encontrada e volta para a mansão Royal, o leitor pode até considerar que as coisas vão melhorar, sobretudo para Reed, mas não é o que acontece, o coitado ainda sofre mais, pois seu amor está perto, mas o odeia e tudo o que quer é manter distância. Reed vai ter que encontrar uma forma de se desculpar e ser perdoado, mas as coisas não estão boas devido a grande revelação da ex-namorada de Calum Royals, o patriarca.

Novamente me vi com o coração na mão lendo Príncipe Partido e cheia de ansiedade para saber o que aconteceria, mas quando eu achava que estava preparada para tudo o final novamente foi um TIRO, CHOCANTE e me deixou PASSADA. Juro que não tem como não ficar ansiando pelo próximo volume Twisted Palace (ainda não traduzido para o Brasil).
"Eu tinha passado os últimos dois anos tentando destruir tudo ao meu redor. Quem podia imaginar que o sucesso teria um gosto tão amargo."
Um dos principais diferenciais desse segundo volume foi o fato de podermos acompanhar essa história sob duas perspectivas: a de Reed e de Ella. A narrativa é em primeira pessoa, mas é dividida nas vozes desses dois personagens para ficarmos a par dos acontecimentos quando Ella fugiu da mansão Royal e a parte em que Ella conta a sua narrativa de como andam as coisas após sua volta.

Sem sombra de dúvida sou apaixonada por essa família de gostosões, corajosos e ricaços Royals, mas aqui temos outras temáticas que divergem do primeiro volume que abordou temas bem mais polêmicos, aqui temos apenas o romance, a confiança e os segredos como carros-chefes da narrativa e claro, Erin Watt não nos decepciona em relação a toda a testosterona e relações sexuais conturbadas dos Royals.
Não posso jamais deixar de indicar esse livro, Príncipe Partido conseguiu ser até melhor que o primeiro volume pois humanizou ainda mais a família Royal e as dificuldades de cada um dos membros. No entanto, é necessário, sim, a leitura do primeiro volume, pois Erin Watt não faz aqueles resuminhos do volume anterior, portanto, começar pelo volume dois deixará o leitor meio perdido, sendo aconselhável a leitura do primeiro volume antes.
"Não consigo me impedir de abraçá-lo com mais força. Parece que uma parte de mim está dizendo que já tive perdas demais na vida e que devo me agarrar às migalhas que Reed Royal estiver disposto a me dar."

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!