Resenha: "Palácio de Mentiras - Série The Royals - Livro 3" de Erin Watt

Palácio de Mentiras, Erin Watt, São Paulo: Planeta (Essência), 2018, 384 pág.
Tradução: Regiane Winarski
COMPRAR: Amazon

Saudações Leitores!
Twisted Palace (2016) no Brasil Palácio de Mentiras escrito por Erin Watt (pseudônimo de Elle Kennedy e Jen Frederick) é o terceiro e último livro da Série The Royals. Este livro, em especial, foi uma leitura que me deixou muito nervosa, ansiosa, viciada, e só consegui largar o livro quando virei a última página, pois não tinha a mínima condição de soltá-lo antes de saber o que diacho iria acontecer com toda a história. 

Já tinha algum tempo que eu não ficava tão focada num livro como fiquei com este: do tipo de sofrer junto, de a cada página soltar um palavrão e solicitar pela ajuda dos universitários por uma nova coleção deles! Meu acervo esgotou!!! Que livro eletrizante!
"A única pessoa com quem consegui baixar a guarda foi Ella. Aquela garota tem o poder de quebrar minhas barreiras e me ver de verdade. O verdadeiro eu, não o babaca frio e insensível que o resto do mundo vê."
Após a leitura de Princesa de Papel, que gostei muito apesar de algumas coisinhas sexistas, machistas e até violentas que relevei pelo fato da leitura ser viciante e abordar temas bastante pertinentes (o que deu uma equilibrada na balança), embarquei com muita sede no segundo volume Príncipe Partido, e já vi uma mudança na narrativa, no desenrolar e pude ter uma compreensão melhor dos personagens da família Royal, ou seja, o segundo volume só foi crescendo e terminou com um grande palavrão escapando pelos meus lábios. Eu já deveria ter encarado isso como um preparação para o terceiro volume, mas eu jamais imaginaria tudo o que se passou em Palácio de Mentiras.

É aqui que vou começar a falar spoilers, pois estou bem eufórica para manter o filtro de Não Spoiler e, CARAMBA, é o terceiro livro de uma série, preciso desabafar!!! Não iria conseguir resenhar sem falar spoiler, desculpa.
"Por que todo mundo sempre sente a necessidade de fazer promessas? As pessoas não sabem que promessas sempre são quebradas?"
Após a morte de Brooke (em Príncipe Partido) sabemos que Reed Royal é o principal suspeito e foi levado pela polícia, além disso temos o aparecimento imprevisível de Steve, pai de Ella, Todas essas informações chocantes no final do segundo livro me trouxeram para Palácio de Mentiras cheia de expectativas e também precavida com o que iria encontrar, pois vejam só o título deste livro OMG!

É aqui que tenho que falar menos para não soltar spoiler reveladores, mas devo dizer que o livro todo vai tratar praticamente de: quem matou Brooke!? É isso que quase pirei para descobrir.
"Quando cheguei à Astor Park, aprende rápido que a maioria dos alunos não vale nem meu tempo, nem minha atenção. O campus é muito lindo, com gramados verdes e prédios altos de tijolos. Tem a imagem perfeita, mas está lotado dos adolescentes mais tristes e inseguros que já tive a infelicidade de conhecer."
Passei o livro quase todo suspeitando de três personagens, mas como não temos quase nenhuma informação sobre a investigação é quase impossível termos total certeza, mas é claro que vamos avaliando os comportamentos suspeitos. O fato é que, pelo livro ser narrado na voz de Ella e na de Reed só sabemos que estes dois não foram os assassinos (coisa bem óbvia), mas todo o resto ficamos na dúvida.

Fiquei eufórica durante toda a leitura, mas tinha momentos que ficava com muita raiva, pois tudo levava a crer que Reed era o culpado e o advogado queria que ele assumisse a culpa sendo que Reed dizia ser inocente! Que diacho de advogado é esse? Teve até um momento que o Reed se propôs assumir a culpa. Como assim? Alguém q é inocente faz isso de verdade? Mancha seu nome e sua vida  inteira com a alegação de que cometeu um homicídio? Essa parte do livro foi horrível! Embora eu até tentei entender as motivações dele para isso. Mas deu raiva.
O final de Palácio de Mentiras não decepciona, pelo contrário é bastante satisfatório, um final digno para a série, contudo, após pensar um pouco foi bem clichê. Eu já tinha matado a charada.  Eu acertei o assassino. (comemoro, pois quase nunca acerto)

Outro ponto que finalmente bati palmas e teve até BERRO foi quando Reed liberou a pepeca para a Ella, afinal era ele quem estava se fazendo de difícil e querendo deixar a gata virgem pela eternidade, embora já tivessem feito todo o tipo de putaria brincadeira. Ella insistiu tanto que conseguiu perder a virgindade com o fofo do Reed e, detalhe, o momento foi a coisa mais linda e fofa e incrível. Erin Watt escreveu um momento íntimo incrível para esses dois, digno da primeira vez da nossa nada casta e tão pouco inocente Ella Harper. Eu amei!!!!!
"Ele faz amor comigo com voracidade, quase desesperado, como se achasse que vai ser a última vez que estaremos juntos. O corpo martela o meu. Ele me preenche fundo e me deixa sem ar, mas eu estou enlouquecida. Enfio as unhas nos ombros dele. Minhas pernas se travam em volta de seus quadris. Em um canto pequeno do meu cérebro, que naquele momento está no controle de todas as minhas ações, eu sinto que se o amar com força suficiente, por tempo suficiente, vou fazer com que ele fique comigo para sempre."
Não digo que a Série Royal é perfeita, eu mesma tive uma série de problemas com alguns acontecimentos dentro destas páginas, e teve muita coisa que não concordei, mas também teve muito assunto sério e temas importantes, então acredito que pesando numa balança pontos positivos e negativos equilibrou tudo. Uma coisa que jamais poderia negar é o fato dessa série ser viciante e muito envolvente, portanto, quem curte livro assim tem que ler estes três. Vai amar!

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!