Resenha: "Tudo Aquilo que Nos Separa" de Rosie Walsh

Tudo Aquilo que Nos Separa, Rosie Walsh, Rio de Janeiro: Record, 2018, 336 pág.
Tradução: Márcio El-Jaick
COMPRAR: Amazon | Outras Lojas

Saudações Leitores!
Tudo Aquilo que Nos Separa (The Man Who Didn't Call) foi escrito pela inglesa Rosie Walsh, aliás, é seu livro de estreia. Este livro mexeu com meus sentimentos e me fez pensar tantas coisas durante a narrativa que tem tornado o processo de escrita dessa resenha bem trabalhoso.
"Que alívio conversar com alguém que não sabia nada da tristeza que eu deveria estar sentindo. Que não inclinava a cabeça para o lado sentindo pena quando falava comigo. Que simplesmente me fazia rir."
Deixem-me situá-los: após vários anos morando nos EUA, Sarah vai passar as férias em sua cidade natal, na Inglaterra, a personagem está recém separada e vivendo vários momentos de reflexões. É nesse momento que encontra Eddie. Esse encontro marca a vida dos dois e, ambos, engatam um relacionamento que dura uma semana, pois depois eles têm compromissos a cumprir, mas Eddie promete ligar para Sarah, pois ele quer continuar com a relação. No entanto, não liga.

Para Sarah algo deve ter acontecido, pois Eddie, simplesmente, desapareceu do mapa, não ligou, não mandou mensagem e o mais assustador: também não responde as mensagens e ligações dela.
"O estranho era que eu sabia que aquela não era eu. Sabia que aquilo não era um comportamento sadio. Sabia que estava piorando, não melhorando, mas não tinha nem vontade nem energia para realizar uma intervenção em mim mesma."
Os amigos de Sarah estão divididos a respeito do que pode ter acontecido diante da situação e, os pensamentos deles são totalmente compreensíveis, para falar bem a verdade o que mais me incomodou foi a forma descontrolada como Sarah lidou com a situação, agindo, muitas vezes, com obsessão e dando uma de stalker tentando encontrar Eddie, tentando entender os motivos dele não ter ligado e tão pouco respondido as mensagens que enviou.
Sarah fica tão impressionada com o sumiço de Eddie que entra em contato com os amigos dele para tentar descobrir seu paradeiro, sendo que - claramente - ele a está evitando. Ela percebe isso, mas não desiste. Quer uma resposta. Confesso que essa atitude da Sarah chegou a me assustar muito. Criei mil e uma teorias e imaginei que a escritora caminhava para um rumo, mas o desenlace foi, sim, totalmente inesperado.
"Não se pode legislar sobre o amor."
Tudo Aquilo que Nos Separa vai trazer inúmeras revelações chocantes, vai nos fazer refletir sobre a vida, sobre o amor, sobre o destino e sobre o perdão. É um livro que nos deixa várias lições, vários ensinamentos, sem contar que deixa a gente bem eletrizado durante a leitura.
Como já comentei o livro mexe muito com nossos sentimentos, tem momentos que amamos Sarah e nos colocamos na pele da personagem, tem momentos que a odiamos por essa carência desgraçada e quase doentia. Tem momentos que amamos Eddie e, tem momentos, que dá nojo saber que ele é covarde demais e nem ao menos deu um motivo, uma explicação para seu sumiço. Ficamos completamente divididos.

Rosie Walsh conseguiu me enganar direitinho: eu lia, lia e lia, mas tinha momentos que não entendia nada do que estava acontecendo - no sentido de motivação para tudo aquilo, sabe? - e quando de repente ela liga todos os "fios" soltos, percebemos o quão genial foi sua escrita e o quão bem elaborado foi seu enredo. É como uma luz sendo acesa. Incrível.
"Às vezes é frustrante ver todo mundo reclamando de seus problemas sem nunca querer conversar sobre possíveis soluções. Achando que são vítimas de outras pessoas, delas mesmas, do mundo."
Contudo, tenho de confessar algo que me dói dizer: o começo do livro é muito parado, muito obscuro (incompreensível) de tal modo que demorei pacas chegar na página 100 e, quando enfim ultrapassei essa página, estava achando a estória apenas "ok", nada demais e ficava me perguntando: "Por que as pessoas falam tão bem desse livro? Não parece nada novo", mas depois que o negócio "engata" é difícil largar e mais: após a reviravolta, é impossível não terminar a leitura sem ovacionar de pé esta obra.

Em resumo: Tudo Aquilo que Nos Separa é uma leitura singular, envolvente, assustadora, reflexiva: mais do que recomendada para todos os tipos de leitores.
"Estou com saudades de você, Eddie. Nunca achei que seria possível sentir saudade de alguém com quem se conviveu por apenas sete dias, mas sinto. Tanta saudade que não consigo nem pensar direito mais."

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!