Filmes Assistidos em Junho 2020

domingo, julho 12, 2020

Saudações Leitores!
Estou bastante empolgada para falar dos filmes que assisti durante o mês de Junho porque, tirando um que foi super sessão da tarde, os demais me geraram grandes surpresas.

Então, sem mais delongas, venham saber quais foram e o que achei dos filmes que assisti.


Rastros de um Sequestro
Título Original: Gi-eok-ui Bam
Gênero: Mistério, Suspense,Thriller
Duração: 109 min.
Ano: 2017
País de Origem: Coreia do Sul
Minha avaliação:
Sinopse: Jin-Seok (Kang Ha-Neul) admira seu irmão mais velho Yoo-Seok (Kim Moo-Yul), que é perfeito para ele.
Yoo-Seok é sequestrado e volta 19 dias depois, mas ele não se lembra de nada. E retorna uma pessoa diferente.
Jin-Seok luta para revelar a verdade escondida por trás de Yoo-Seok.

O QUE ACHEI: 

Encontrei esse título como sugestão na Netflix, por conta de outras séries e filmes coreanos que já assisti. Como achei a sinopse bem curiosa e resolvi "arriscar".

Fui pega de surpresa porque apesar de esperar um suspense pegado para o thriller - o que, de fato é, o filme deixa a gente com um misto de sentimento que é fora do comum.

Eu senti medo (sério, tinha horas que sentia muito medo), angustia, raiva. Portanto, Rastros de um Sequestro, é, sim, um baita thriller, mas também devo admitir que eu também me senti muito confusa durante o filme, no entanto, no final temos uma epifania de tudo o que ocorreu e é um terrível baque. Muito, muito louco, mas vale muito a pena.

Sinceramente? Tenho percebido que o cinema coreano também é muito bom - cheio de enredos alternativos - e foge do padrão clichê norte-americano, mostrando autenticidade, de modo que além de dorameira de plantão, creio que eu fique, de agora em diante, de olho nos filmes coreanos também.

Fell the Beat
Título Original: Fell the Beat
Gênero: Comédia, Drama, Família
Duração: 107 min.
Ano: 2020
País de Origem: Estados Unidos
Minha avaliação:
Sinopse: Depois que April não consegue sucesso na Broadway retorna para sua pequena cidade natal, e é relutantemente recrutada para treinar um grupo de jovens dançarinos para uma grande competição.

O QUE ACHEI: 

Francamente, depois de uma semana bem corrida, o único filme que meu psicológico e emocional estava disposto a assistir era algo no estilo sessão da tarde, então quando Fell the Beat apareceu nas sugestões apertei o play sem pensar duas vezes, além do mais - vou logo confessar para vocês - sou do tipo de pessoa que ADORA filmes com dança e com artistas em geral: desde aqueles que estão no começo de carreira, lutando por ela ou em seu declínio.

Portanto, o filme pareceu uma boa pedida para a semana, mas é óbvio que já esperava os clichês desse tipo de filme e, SIM, teve todos os clichês possíveis e desde o começo a gente já sabe como vai ser o meio e o fim da película, entretanto, ainda assim, foi uma delícia de assistir.

A dica é que é o tipo de filme tranquilo para assistir em família, passa uma mensagem bonita e algumas reflexões e aprendizado. Gostosinho.

Escritores da Liberdade
Título Original: Freedom Writers
Gênero: Biografia, Drama
Duração: 122 min.
Ano: 2007
País de Origem: Estados Unidos
Minha avaliação:
Sinopse: Hilary Swank, duas vezes premiada com o Oscar, atua nessa instigante história, envolvendo adolescentes criados no meio de tiroteios e agressividade, e a professora que oferece o que eles mais precisam: uma voz própria. Quando vai parar numa escola corrompida pela violência e tensão racial, a professora Erin Gruwell combate um sistema deficiente, lutando para que a sala de aula faça a diferença na vida dos estudantes. Agora, contando suas próprias histórias, e ouvindo as dos outros, uma turma de adolescentes supostamente indomáveis vai descobrir o poder da tolerância, recuperar suas vidas desfeitas e mudar seu mundo.Escritores da Liberdade é basedo no aclamado best-seller O Diário dos Escritores da Liberdade.

O QUE ACHEI: 

Já tinha ouvido falar desse filme, não só porque ele é de 2007 e estava na minha lista de "Quero Assistir" do Filmow, mas também porque é baseado em fatos reais e nos relatos encontrados no livro Escritores da Liberdade, que agora tenho ainda mais curiosidade de ler.

Nem acredito que assistir a esse filme e, UAU, o filme é pesado porque fala de jovens problemáticos, que vivem em situação precária e de violência, porém, uma única pessoa - UMA PROFESSORA - acreditou no potencial daqueles jovem e TRANSFORMOU SUAS VIDAS (fico arrepiada com isso). Quando todos na escola já não acreditava mais naqueles alunos, naqueles jovens, aquela professora sacrificou sua vida por amor e esperança  de que eles seriam adultos de sucesso.

Além disso, acompanhamos a transformação que a professora gerou através da leitura dos livros e escrita, através de fatos históricos, de exemplos de pessoas reais que tinham a idade ou eram mais novos que aqueles jovens e que viveram situações extremas também.  Mostra também que lutar pelo que se quer é a melhor forma de valorizar aquilo que se consegue.

CHOREI HORRORES vendo esse filme e fiquei ainda mais apaixonada pela docência, sério, essa profissão deveria ser a mais valorizada de todas, porque eu penso que, se um jovem decidiu ser um médico, ser um engenheiro, ser um advogado, ser um escritor (qualquer coisa) foi porque ele passou pelas "mãos" de um professor cuidadoso, foi porque um professor os inspirou e acreditou em suas potencialidades.

Caso você ainda não tenha assisti. ASSISTA PELO AMOR DE DEUS.

Dentro da Casa
Título Original: Dans La Maison
Gênero: Drama, Thriller
Duração: 105 min.
Ano: 2012
País de Origem: França
Minha avaliação:
Sinopse: Um rapaz de 16 anos consegue entrar na casa de um colega da sua aula de literatura e resolve escrever sobre o fato no seu trabalho de francês. Animado com o dom natural do aluno e o progresso do seu trabalho, o professor volta a apreciar a função de educador dos jovens. Entretanto, a invasão do aluno vai desencadear uma série de eventos incontroláveis.

O QUE ACHEI: 

Teve uma época em minha vida que assistia muito filme francês, ficava baixado no torrent para assistir, mas com a falta de tempo para procurar e encontrar esses filmes acabei não assistindo mais tantos deles.

Entretanto, sempre mantive vários na minha lista de "Quero Assisti" e Dentro da Casa foi um deles. O cinema francês é algo surpreendente que foge dos padrões norte-americanos, aliás acho que cada nacionalidade tem seus parâmetros e peculiaridades na hora de produzir filmes, o que torna aind amais fascinante explorar filmes estrangeiros.

Dentro da Casa foi uma dessas gratas surpresas que tive o prazer de assistir, o filme tem um quê de thriller, mistério e suspense, porém, não no sentido tradicional, mas num sentido completamente inusitado que vem associado ao fato de escrever, de produzir um texto.

Na verdade, acho que esse filme deveria ser obrigatório para quem quer entender mais sobre processos criativos (não para fazer o que o jovem faz, claro) e também entender as etapas da escrita criativa, métodos e estruturas de narrativas. Extremamente genial. No final da película, eu estava com o queixo caído e completamente impactada. UAU...

A tela ficou preta e eu fiquei com vontade de ler os textos do rapaz e ser ainda mais ousada: escrever meus próprios textos!

A Vida Invisível
Título Original: A Vida Invisível
Gênero: Drama, Nacional
Duração: 149 min.
Ano: 2019
País de Origem: Alemanha, Brasil
Minha avaliação:
Sinopse: Década de 1940. Eurídice (Carol Duarte) é uma jovem talentosa, mas bastante introvertida. Guida (Julia Stockler) é sua irmã mais velha, e o oposto de seu temperamento em relação ao convívio social. Ambas vivem em um rígido regime patriarcal, o que faz com que trilhem caminhos distintos: Guida decide fugir de casa com o namorado, enquanto Eurídice se esforça para se tornar uma musicista, ao mesmo tempo em que precisa lidar com as responsabilidades da vida adulta e um casamento sem amor.

O QUE ACHEI: 

Lembro que quando anunciaram esse filme como a adaptação do livro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão fiquei até com dor de barriga de tão empolgada que fiquei, já que eu AMEI o livro, mas como tudo que colocamos expectativas demais acabamos nos frustrando um pouquinho, isso aconteceu com o filme.

Calma que não estou dizendo que A Vida Invisível não é bom, pelo contrário, é um baita filme, mas não correspondeu minhas expectativas, principalmente por que não foi lá muito fiel ao livro e isso me deu um baque muito grande, porém, entendo que uma adaptação tem que ser mais enxuta, com menos detalhes, mas essa aqui tirou muito da essência de Eurídice do livro.

De todo o modo, mesmo não sendo fiel ao livro e nem indo de encontro com minhas expectativas, esse filme é muito forte, mostra todo o potencial do atual cinema brasileiro - embora não recomende para assistir com crianças, já que tem cenas explícitas de sexo e órgãos genitais.

A Vida Invisível tem atuações maravilhosas, uma fotografia lindíssima e todo o cenário histórico brasileiro da década de 40. É muito interessante, aliás, tem post com minhas considerações sobre esse filme AQUI.


Gostou do post? Então, me fala se já conhece ou quer conhecer algum dos filmes que mencionei. Ficaria muito feliz se você saísse desse post com uma lista de filmes para assistir depois.


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Muito obrigada pelo Comentário!!!!