Resenha: “Outlander: A Viajante do Tempo” de Diana Gabaldon

Saudações Leitores!
Ainda me sinto estarrecida só em pensar em Oultander: A Viajante do Tempo*, porque a leitura me surpreendeu de tal modo que fiquei a pensar nela por vários dias após ter virado a última página e simplesmente fiquei com raiva de mim por ter demorado tanto em pegar esse livro para ler.
Minha reação foi tipo: Nossa! Uau! Pqp! Ahhh! Ohhhh! Ai! Eca! Valha me Deus! Nãoooo! Isso! Meu Deus! Como isso foi acontecer?! Vai, vai! Para, para, para! Por quê?! 
Meus sentimentos: amor, raiva, ódio, indignação, esperança, surpresa, histeria, revolta, conformação, ansiedade, choro, risos...etc.
Ah, uma coisa boa que aconteceu é que esse livro li com minhas amigas e companheiras do Clube do Livro Cookies & Borrões e foi muito bom porque eu podia comentar com elas os meus sentimentos durante a leitura e desabafar.


Outlander 1#: A Viajante do Tempo, Diana Gabaldon, Rio de Janeiro: Saída de Emergência,
2014, 800 pág.
Tradução de Geni Hirata

Outlander: A Viajante do Tempo foi originalmente publicado em 1991 e trata-se de uma série escrita pela norte americana Diana Galbadon. A Série Outlander conta atualmente com 8 títulos, entretanto os livros 3, 4, 5, 6, 7 são divididos em 2 volumes, ou seja, no total teríamos 13 livros (*.*) até agora. Na ordem de título e ano de publicações originais seria assim:
1 A Viajante do Tempo (1991)
2 A Libélula no Âmbar (1992)
3 O Resgate no Mar – volumes I e II (1993)
4 Os Tambores de Outono – volumes I e II (1996)
5 A Cruz de Fogo – volumes I e II (2001)
6 Um Sopro de Neve e Cinza – volumes I e II (2005)
7 Ecos do Futuro – volumes I e II (2009)
8 Written in my heart’s blood (2014)

Além desse detalhe, a série tem ganhado cada vez mais destaque porque em 2014 ela começou a ser adaptada em uma série televisiva pelo canal Starz. Diana Galbadon é autora best-seller e já tem ganhado vários prêmios por seus livros, em especial por suas séries Outlander e Lord John.
Outlander: A Viajante do Tempo é um romance histórico que acontece na Escócia no pós-segunda guerra, 1945, e na Escócia de 1743. Além de romance a série traz muita aventura, mistério, fantasia, pesquisa histórica e cultural, fábulas, misticismo, ficção. É, de fato, uma obra completa.
Essa resenha é uma das mais difíceis que escrevo em minha vida porque não consigo traduzir a multiplicidade de sentimentos que me envolveram durante esta leitura, só digo uma coisa que pode servir de exemplo: Nunca tinha lido um livro tão fantástico, bem escrito, viciante, com uma história original e envolvente como este. Minha resenha estará muito inferior ao potencial de descrição e qualidade deste livro.
Sobre o enredo, é normal já termos lido ou ouvido falar de algum livro com viagens no tempo, mas Outlander tem suas particularidades e são essas particularidades que envolvem TODOS os leitores. Se um livro bom for aquele que faz com que seus leitores sejam incapazes de descrevê-lo através de palavras literais, este livro é exatamente assim e só consigo pensar em metáforas para descrevê-lo: Outlander é como um mergulho histórico, cultural, sensível, cruel, irreverente, impiedoso e devastador de uma época em que a Escócia tinha um brilho e naturalidade exuberantes, mas escondia coisas devastadoras, é impossível não se perder em suas páginas e viajar no tempo com Claire para a Escócia de 1743.
Claire, uma mulher casada, enfermeira, que experiênciou e viveu a Segunda Guerra Mundial de perto, ao desfrutar de sua segunda lua de mel na Escócia com seu marido Frank após a guerra, vê-se numa situação inimaginável e que seu cérebro não conseguiria processar de maneira científica: transporta-se magicamente para uma Escócia inóspita de 1743 e está jogada a própria sorte, aventuras e perigos que jamais supôs que algum dia viveria, até conhecer o Clã Mackenzie e consequentemente Jamie, um foragido sobrinho do representante do Clã e está sob sua proteção.
Os personagens de Galbadon são extremamente reais, quase palpáveis. Numa época em que o “bum” literário está voltado para os romances juvenis, nos depararmos com personagens maduros, capazes de nos cativar, inteligentes, sem mimimis, briguinhas bobas e conflitos psicológicos rasos me faz perceber o quanto a literatura é um mundo incrível e inovador. Os personagens de Oultander surpreendem por sua profundidade e personalidades fortes e isso vale para os personagens principais e secundários – a escritora soube trabalhar perfeitamente bem em todos, uma artesã das palavras e descrições – Claire e Jamie são personagens capazes de cativar todos os tipos de leitores: uma mulher a frente do tempo em que foi mandada, com conhecimentos, mas incapaz de lidar com a forma de viver, por isso Jamie vem ao seu socorro, com delicadeza, dureza, brutalidade, amor, admiração.
Sobre o romance entre Jamie e Claire, que acontece de forma inusitada e, portanto, não tem aqueles fogos de artifícios, mas que nasce de uma profunda admiração e de forma paulatina, de forma em que ambos se descobrem apaixonados desde o primeiro instante, mas as circunstâncias não favoreciam em nada o romance, então, ele vai acontecendo página a página e podemos nos apaixonar pelo casal na medida em que eles se apaixonam. Cá entre nós, os dois tem uma química incrível e o relacionamento deles soltam faíscas capazes de nos queimar. Sim, há muito erotismo – sem vulgaridade – entre o casal e cenas (muitas cenas) de amor e paixão torrenciais.
Diana Galbadon não é apenas uma ótima escritora no sentido de ter escrito uma boa história, mas ela é capaz de prender o leitor e sem sombra de dúvida teve que fazer uma vasta pesquisa histórica e cultural da Escócia para escrever este livro, além de idiomas como o gaélico, o inglês, nomes de lugares, trajes como o kilt, armamento da época, as mudanças entre a Escócia de 1743 e 1945, com tudo isso ela ainda nos presenteou com a proeza de um livro rico em detalhes e cujas informações são ligadas e sem fios soltos desnecessários, a não ser aqueles necessários para dar vazão a continuação. [ainda estou curiosa com relação ao homem que Frank vê espiando a janela enquanto Claire se arruma em 1945].
Sem sombra de dúvidas já estou ansiosa pela leitura de Oultander: A Libélula no Âmbar, embora esteja com aquela dúvida de todo leitor: Será que o segundo livro é páreo ao primeiro? Não obstante, a escrita de Diana Galbadon e seu potencial de criatividade já me cativaram tanto que deposito todas as minhas expectativas em seus livros e tenho certeza que ela não irá me decepcionar. Dou o voto de confiança e a escritora já se tornou uma de minhas favoritas.
Então, tá esperando o quê para ler Oultander e se encantar também por essa história? Vá com tudo e perca o fôlego! Detalhe, se prepare porque a leitura fará você: perder o fôlego, rir, chorar, ficar tensa, arregalar os olhos, falar palavrões, querer quebrar a cara de algum personagens, jogar o livro fora, esculhambar um personagem, se apaixonar e, como todo bom livro, você ainda corre o risco de ficar com um enorme DPL, e ficar com os personagens e a história rondando sua cabeça por dias e meses, mas garanto: Vale a pena!


*Esse livro foi uma cortesia da Editora Saída de Emergência, para saber mais sobre ele clique AQUI.

6 comentários:

  1. Mila sua resenha está a altura do livro sim! Pode acreditar! Fiquei encantada em como você conseguiu captar e transmitir o quanto gostou do livro e ainda dar uma ótima ideia do que podemos encontrar ao ler! Comecei assistindo a série e não pude resistir e li o livro EM UMA SEMANA! Nem eu acredito ainda, como você disse é impossível de largar e me senti igual a você em relação a muitas coisas, como ser super legal o desenvolvimento lento do relacionamento dos dois! Admiro muito a Diana por todo conhecimento e devoção que ela colocou na história, com certeza não foi fácil de pesquisar os mínimos detalhes, né? Também espero que o segundo livro seja melhor ainda e quero ver se leio logo porque preciso de mais Jamie na minha vida rs <3
    Beijos e parabéns pela resenha!
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Debora,

      Obrigada pela visita e comentário. Espero que o próximo volume seja melhor que o primeiro, na verdade já vi gente comentando o segundo volume é tão bom quanto... estou ansiosa, vou tentar ler em Março.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Amei a capa, e pela sua resenha esse é o meu tipo de livro: emoções a flor da pele. *---*
    Com certeza vou ler.

    Vanessa | Blog Closet de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa,

      pode acreditar: as emoções ficam a flor da pele quando se trata deste livro, ele é realmente muito bom e não consegui ainda me desapegar dessa história e dos personagens. Mais do que indicado!

      xoxo
      Mila F.
      @camila_marcia

      Excluir
  3. Oi Camila!
    Venho observando no facebook várias pessoas e blogs fazendo referência a Outlander. Sempre fui apaixonada por histórias que envolve a Escócia antiga, os famosos highlanders, o filme Coração Valente com Mel Gibson, etc. Gostei demais da sua resenha, o que com certeza me fará ler o mais rápido possível este livro, que pela sua narrativa, tem tudo para me encantar. Gostaria de saber onde poderei assistir a série que a todos emocionam, você poderia me responder? Sucesso para você e seu blog! Beijocas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia,
      primeiramente obrigada pela visita e comentário. É um prazer tê-la aqui.

      Sobre o livro, se você já tem esse interesse particular pela Escócia, certamente irá se encantar por Outlander, a autora soube fazer uma pesquisa minuciosa e realista sobre a Escócia, ficou uma belezura de livro e a história em si já é bastante envolvente, daí junta o fato de termos personagens maravilhosos e uma escrita perfeita: pronto - SUCESSO!

      Sobre a série, eu baixei através do site Baixando Fácil e assisti, a série é muito, muito boa.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!