Resenha: “A Playlist de Hayden” de Michelle Falkoff

Saudações Leitores!
Eu nem acredito, mas parece que estou naquela fase de pegar livros para ler cujas temáticas são bem similares. A Playlist de Hayden* tem a mesma temática que encontrei no livro Por Lugares Incríveis, que recentemente li. Embora com a mesma temática, as abordagens são completamente diferentes e ambos me passaram muitas mensagens. Vem conhecer mais sobre esse livro.

A Playlist de Hayden, Michelle Falkoff, Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito, 2015, 288 pág.
Traduzido por Amanda Orlando

Playlist For The Dead recentemente publicado pela editora Novo Conceito com o título A Playlist de Hayden, trata-se o primeiro livro da escritora norte americana Michelle Falkoff, que foi muito feliz com seu livro de estreia, pois além de abordar temáticas contemporâneas e bastante sérias, traz uma narrativa fluida e uma gama de personagens surpreendentes e profundos.
A Playlist de Hayden é um livro inteligente, envolvente que trata de assusto que estão em alta em nossa contemporaneidade e são muito sérios, como: bullying, homossexualismo, família.
A história começa logo mostrando que Hayden cometeu suicídio e deixou uma playlist para Sam, seu melhor [e único?] amigo, a partir daí surge uma série de questionamentos: Por que o garoto fez isso?  Quem é Hayden? Qual o motivo da playlist? Desse modo, durante toda a narrativa vamos delineando o perfil do garoto suicida, mas não só dele como de todos que estavam direta e indiretamente em sua volta.
Acompanhamos de perto Sam, o melhor amigo que herdou uma playlist, no mínimo curiosa e quer entender o motivo de Hayden ter deixado a playlist para ele e o principal, quer entender porque Hayden, seu melhor e único amigo tirou a própria vida e o abandonou.

"Como eu poderia descrever a minha relação com Hayden? Ele era meu melhor amigo. Meu único amigo. Eu achava que levaria algum tempo para que essa situação mudasse, ao contrário de Hayden, e então ele tinha ido embora. Ele podia me obrigar a ficar ali sentado durante o tempo que quisesse que eu não conseguiria responder àquela pergunta." (p.59)

Sam é um garoto nerd, solitário e encontrava em Hayden a personificação da amizade perfeita e foi destruída, um misto de sentimentos: saudade, sofrimento, raiva, perda o assolam após descobrir o corpo inerte do amigo.
Nesse ínterim, uma sucessão de coisas vão acontecendo como ataques à Trifeta Bullying, composta por Ryan, Jason e Trevor, que atazanavam a vida de Sam e Hayden. Sam descobre que Hayden não era tão solitário assim e passa a conhecer outra versão do amigo. O jovem também tem que lidar com supostas aparições de Hayden para ele e com o inicio do sentimento que começa a nutrir por Astrid, além de ter que reconhecer o quanto a família, escola e todos que estavam em volta de Hayden tiveram sua parcela de culpa na culminância do suicídio. 

"Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê." (p.44)

É muita coisa acontecendo com Sam e o mistério sobre essas pessoas, os fatos e a playlist acompanham todo o livro, o que atiça a curiosidade do leitor. Felizmente a narrativa de Michelle Falkoff é um show a parte e é capaz de nos envolver. A escritora foi muito sagaz na escolha das músicas que, de certa forma, servem de trilha sonora para cada capítulo e num todo para o livro. Isso é fascinante. 
O desenrolar do enredo e o clímax da narrativa pode, sim, surpreender o leitor, mas de forma geral o resultado já vinha sendo delineado de forma paulatina e não foi uma total surpresa, embora alguns pequenos detalhes tenham sido incríveis para o efeito total das descobertas.
A Playlist de Hayden é envolvente e bastante criativa, cercado de melancolia e realidades mudas, mas que estão gritando em todas as páginas seja no impresso ou nas entrelinhas do que está escrito. Considero uma leitura delicada, principalmente para quem de forma direta ou indireta já conviveu com suicidas, ou pretensos suicidas, mas é de uma sutileza, delicadeza e envolvimento incríveis, vale a pena a leitura.


*Este livro foi cortesia da Editora Novo Conceito, para maiores informações sobre o mesmo, clique AQUI.
 

2 comentários:

  1. Oi,Mila!
    A Playlist de Hayden foi uma agradável surpresa, mas confesso que esperava mais profundidade da parte da autora. Talvez pelo costume de conhecer livros similares que trabalham o mesmo tema de maneira mais profunda. Apesar disso também o recomendo. Acredito que foi essa leveza que tornou o livro interessante, pois caso contrário, a narrativa se tornaria melancólica e, possivelmente, não teríamos uma avaliação tão positiva. Adorei sua resenha porque você conseguiu colocar em palavras muito do que eu deixei escapar.

    Bjs!
    Zilda Peixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zilda,

      Esperava mais do livro, também, mas gostei do que li, tanto que apesar de não ter superado minhas expectativas, conseguiu me agradar de forma bem envolvente. Não condizer com as expectativas não foi ruim, apenas pude me deparar com algo que não esperava, mas que foi bom, foi uma surpresa.
      O livro é bonito, é fofo, mas é bem sério.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!