Resenha: “Eu Te Darei o Sol” de Jandy Nelson

Saudações Leitores!
Eu estava tão ansiosa para ler Eu Te Darei o Sol* que não pensei duas vezes ao começar a ler assim que o exemplar pousou em minhas mãos, contudo, não foi bem o que eu esperava encontrar e admito: Jandy Nelson conseguiu me decepcionar, a leitura se arrastou por longas duas semanas, explico minha afirmação na resenha abaixo, confira:


Eu Te Darei o Sol, Jandy Nelson, Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito, 2015, 384 pág.
Traduzido por Paulo Polzonoff Junior

I’ll Give You The Sun (2014) no Brasil Eu Te Darei o Sol foi escrito por Jandy Nelson, mesma autora de O Céu Esta em Todo Lugar, já resenhado no DLL.
Nem sei como explicar o tamanho da minha frustração ao ler Eu Te Darei o Sol, acredito que criei expectativas demais, pois quando li O Céu Esta em Todo Lugar eu amei do fundo do meu coração e estava pensando na minha experiência maravilhosa e quando me deparei com este novo livro da Jandy Nelson, foi difícil não criar expectativas.
As expectativas me deixaram arrasada, eu esperava algo bonitinho, leve, engraçado e viciante, mas me deparei com uma narrativa lenta, cansativa, exaustiva e que me dava sono todas as vezes que pegava o livro para ler.

"[...] talvez uma pessoa seja feita de várias pessoas. Talvez estejamos acumulando novas personalidades o tempo todo. Carregando-as ao fazermos nossas escolhas, boas e más, enquanto erramos, organizamos, perdemos a cabeça, encontramos nossa cabeça, desabamos, nos apaixonamos, sofremos, crescemos, nos retiramos do mundo, mergulhamos no mundo, ao criarmos coisas e destruirmos coisas." (p.360)

Quero deixar claro que Eu Te Darei o Sol tem uma estória bem interessante e que fugiu do clichê total presente no primeiro livro da autora que li, mas o assunto “inédito” não salvou a narrativa.
Senti que Jandy Nelson se perdeu na hora de escrever, teve uma ideia genial e destruiu. Não lapidou a obra. Portanto, temos a história de dois irmãos gêmeos Noah e Jude, que é contada por eles mesmos, no entanto, em dois tempos: passado e presente. O passado é contato pelo ponto e vista de Noah, quando tinha 13-14 anos, e o presente é contato por Jude, aos 16 anos.


"Talvez algumas pessoas simplesmente tenham sido feitas para estar na mesma história." (p.371)

Cada detalhe que Noah e Jude conta vão desenvolvendo a trama cujas ideias foram até bem elaboradas, fato que deixa o leitor a par de tudo sendo capaz de desvendar o mistério da família de Jude e Noah.
Eu Te Darei o Sol apesar de ter sido uma leitura chata, têm uma história incrível e que nos faz refletir sobre destino, amor, perdas, mentiras. Qualquer coisa em nossas vidas tem uma consequência. Aborda também temas contemporâneos como: homossexualismo, bullying, fofocas, família (que por sinal é o que estamos vendo da maioria dos livros hoje em dia).
Entre Noah e Jude, prefiro Noah, ele é muito mais legal, Jude é muito neurótica e supersticiosa... isso me incomodou tanto. Nunca pensei que fosse me incomodar com isso, mas achava uma chatice as partes em que tinha ‘citações’ da bíblia de superstições dela e o dom de ver fantasmas. Um saco.
Vou deixar passar a oportunidade de indicar esse livro, porque não faço a menor ideia de quem poderia gostar, tipo, eu não gosto de indicar livros que me dão sono, mas para não bancar a crítica chata saliento que a história é bacana, mas infelizmente foi mal desenvolvida no quesito escrita.
 
*Este livro foi cortesia da Editora Novo Conceito, para saber mais sobre o mesmo, clique AQUI.

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!