Resenha: "O que Há de Estranho em Mim" de Gayle Forman

Saudações Leitores!
Hoje, vim dividir minha impressão de leitura sobre O que Há de Estranho em Mim* que li recentemente e posto a resenha logo abaixo, confiram:


O que Há de Estranho em Mim, Gayle Forman, São Paulo: Arqueiro, 2016, 224 pág.
Traduzido por Marcelo Mendes

Sisters in Sanity no Brasil O Que Há de Estranho em Mim foi escrito por Gayle Forman, mesma autora de Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi.
Este livro traz a história, narrada em primeira pessoa, de Brit, uma jovem de 16 anos integrante de uma banda chamada Clod que é absolutamente independente para sua idade, tem uma alto-estima elevada, mas por ter uma mãe esquizofrênica e que sumiu do mapa, o pai de Brit - já casado com outra mulher - temendo que a filha apresente os mesmos problemas psicológicos que a mãe a interna numa 'escola', ou melhor, clínica chamada Red Rock que promete reabilitá-la.
Absolutamente o pai de Brit acredita estar ajudando a filha, que já tem tendência a ser diferente das outras jovens como ela, a se curar, contudo não sabe o tratamento utilizado na Red Rock foge ao tradicional e é um lugar completamente controlador e cheio de punições para quem não se torna submissa.
O tratamento especial na Red Rock é falar palavrões, xingar as outras internas, dedurar, fofocar, isto é, algo que foge completamente as normas sociais, mas que lá dentro é regra. É um ambiente repressivo.
Nesse meio tempo, Brit tenta se rebelar contra o sistema da Red Rock, mas é punida e fica solitária a maior parte do tempo até conhecer outras internas: V, Martha, Bebe e Cassie que se tornam um pouco de sanidade no meio de tanta loucura. Juntas, as cinco vão tentar denunciar o que realmente acontece em Red Rock para a sociedade.
O fato é que O Que Há de Estranho em Mim é um livro um pouco bizarro e durante a leitura eu não sabia me posicionar a respeito dos meus sentimentos em relação a leitura, pois a medida que achei a narrativa bem saborosa e agradável, não consegui apreciar tanto o enredo - achei-o até infantil demais e não muito coerente. No geral o livro é bem legal e divertido, dá para lê-lo rapidamente. A leitura flui bem.
O foco real do livro é abordar a esquizofrenia, o bullying, as relações familiares, a amizade. Tem um pouco de romance, sim, mas esse é tão deixado para segundo plano que não chega a ser o foco e nem chega a chamar tanta atenção. O que mais me perturbou foi o comportamento de Brit, achei-a conformada demais com a situação imposta por seu pai, compreensiva demais para uma jovem de 16 anos tida como rebelde.
De fato, para ler O Que Há de Estranho em Mim  devemos ter em mente uma leitura para descontrair e muito fluída, com um enredo não muito elaborado. Gayle Forman é capaz de cativar o leitor só pelo aspecto encantador de suas narrativas!

*Esse livro foi cortesia da Editora Arqueiro, para saber mais clique AQUI.

2 comentários:

  1. Apesar da autora ser uma boa narradora... não me cativou sabe? Senti que faltou muita coisa, apesar de outras terem sido tão bem estruturadas... no fim fiquei com a impressão de que Gayle tinha pressa em escrever esse livro...

    Foi minha impressão particular.

    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser Ju,

      também achei que faltou algo que me empolgasse mais... li e não senti nada, não consegui me envolver com os personagens e nem com o enredo, apesar de que o tema abordado seja interessante.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!