Resenha: "Maus" de Art Spiegelman

Saudações Leitores!
Gente, eu não consigo mais resistir a HQ's, então não pensei duas vezes em comprar Maus e foi um leitura incrivelmente fabulosa, cheia de emoções e confrontos sentimentais. Essa HQ foi uma das que li e que mais mexeram comigo, acredito que será difícil encontrar outra que me faça sentir o que senti lendo essa...


Maus: a história de um sobrevivente, Art Spiegelman, São Paulo: Companhia das Letras (Quadrinhos na Cia), 2009, 296 pág.
Traduzido por Antonio de Macedo Soares

Maus, a Survivor’s Tale foi escrito pelo ilustrador, cartunista e autor de histórias em quadrinhos Art Spielgeman, que é uma referência nos quadrinhos. Duas de suas obras mais conhecidas são as semi-biografias Maus (que inclusive ganhou o prêmio Pulitzer) e as tiras em quadrinhos In The Shadows of No Towers.
Na minha 'onda' de ler quadrinhos (um gênero que recentemente tem despertado muito do meu interesse) descobri o livro Maus e me encantei com a proposta, um misto de curiosidade, porque eu não entendia como uma HQ poderia passar tamanho conteúdo emocional e histórico do tempo do holocausto. 
Art Spielgeman não é apenas o autor do livro, mas ele fala da história de seu pai, o judeu Vladek Spielgeman na época da Segunda Guerra Mundial e tudo o que ele e sua família passaram para sobreviver a guerra, a fome, aos perigos e aos centros de concentração (Auschwitz).
Maus é uma HQ bem peculiar, pois mostra Art entrevistando seu pai Vladek, e a partir das memórias de seu pai ela vai compondo a HQ com uma fidelidade e emoção incríveis. Sem sombra de dúvida, tanto Art quanto Vladek são personagens peculiares e aos poucos vemos delineados suas principais características e seu relacionamento familiar.
O foco do livro é relatar um dos períodos mais negros da história da humanidade, quando uma 'raça' se considera melhor e superior a outras, gerando a dizimação de milhares de milhares de pessoas. A HQ reflete através do próprio traço do quadrinista o período negro: traços grossos em preto e branco, muito preto que nos leva a supor dor, perdas e desolação.
Além desse detalhe, outro ponto auge e impressionante na obra é a representação dos personagens em forma de animais, poe exemplo: Judeus são ratos, Nazitas são gatos, Franceses são Sapos, Poloneses são Porcos e Estadunidenses são cachorros. Outro detalhe que vale frisar é o título do livro Maus em alemão significa rato, tudo a ver, não é?
Maus realmente me impressionou, tanto que demorei vir aqui escrever a resenha, este livro me deixou sem palavras e com um aperto enorme no meu coração. Diferente de apenas ler e tentar imaginar as cenas do que estava lendo, na HQ tive a oportunidade de ver a cena pelos olhos de Art e foi assustador passar por diversas das páginas, me dava uma angústia e eu ficava refletindo sobre a vida das pessoas mortas, dos sobreviventes, das família... tamanha dor proporcionada pela falta de amor e pela ignorância do homem.
Vladek Spielgeman foi um sobrevivente, mas ele não saiu incólume: percebemos os traumas, medos e angústias que ele carregou até seu último dia de vida. É difícil sobreviver a tamanha dor e não ficar cheio de cicatrizes.
Tenho um medo do ser humano e das coisas que ele faz em nome de uma suposta 'paz', que no final não é nada mais do que a promoção de guerras em busca de mais poder e dinheiro. É assustador! Tenho o meu coração apertado após conhecer Maus, pois mesmo já tendo lido vários livros sobre essa temática, nenhum deles mexeu tanto comigo. Um livro fabuloso para quem gosta de narrativas históricas e relacionadas ao nazismo, holocausto e Segunda Guerra Mundial.


2 comentários:

  1. Estou arrepiaaaada....

    acabei de olhar o preço e tá um pouco caro, senão eu comprava. Estou decidida a ler.

    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juh,

      vez por outra tem promoção de livros da Companhia das Letras (na Amazon) fica de olho, pois você precisa desse livro.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!