Resenha: "Uma Morte Horrível" de Pénélope Bagieu

Uma Morte Horrível, Pénélope Bagieu, São Paulo: Nemo, 2016, 128 pág.
Traduzido por Fernando Scheibe

Saudações Letores!
Uma Morte Horrível cujo título original é Cadavre Exquis (2010) trata-se da primeira Graphic Novel de Pénélope Bagieu e me conquistou incrivelmente pelas sutilezas e pelo plot twist inesperado. Sou fã de HQ e tudo relacionado a este universo, então não pestanejei de devorei o volume em poucos minutos.

Nesta Graphic Novel somos apresentados a personagem Zoé que tem um trabalho horrível como hostess e para completar mora com um namorado ogro que passa o dia fazendo nada, pois está desempregado.

A vida de Zoé não vai nada bem, mas tudo começa a mudar quando ela conhece o escritor Thomas Rocher que vive trancado em seu apartamento luxuoso e está passando por uma verdadeira crise de inspiração: um bloqueio criativo.
Zoé é completamente alienada quando o assunto é literatura e jamais reconheceria um autor famoso, ela apenas soube que Thomas era escritor quando o mesmo lhe contou. A partir desse encontro Zoé se muda para o apartamento de Thomas e o famoso escritor começa a ter ideias fabulosas para escrever um novo e intenso romance, provavelmente seu melhor livro escrito.

Tudo vai bem até aparecer a editora de Thomas, Aghate, que tem muito em comum com o autor. Claro que Zoé fica com ciúmes e com raiva por Thomas viver recluso em seu apartamento, sem nunca sair. Coisa que com o tempo a editora explica para Zoé que neste ínterim passam a ser amigas.
O tom utilizado nesta Graphic Novel vem misturado com poesia e seu conteúdo nos faz refletir exatamente sobre a vida, as decisões e como em um piscar de olhos tudo pode mudar, sobretudo, as pessoas com quem você vive.

Uma Morte Horrível mostra vários lados do amor e como ele pode transformar as pessoas - às vezes para o melhor e às vezes para pior -, mas também traz um verdadeiro passeio no psicológico dos personagens e o quanto isso é interessante e influenciou os acontecimentos para o desenrolar da história, que - me desculpe o palavriado - foi fodástico... As motivações dos personagens para seus atos estavam presentes desde o começo da Graphic Novel, mas eu me envolvi tanto que não percebi para onde aquilo estava levando, de modo que, o final me surpreendeu bastante e eu ADOREI!
Acredito que essa Graphic Novel foi uma grande surpresa porque eu esperava algo bom, mas que não fosse tão profundo, isto é, que não me fizesse refletir sobre VIVER e/ou apenas EXISTIR, ou levar uma vida em prol do próprio EGO, sem aproveitar os momentos. Encontrar tantas reflexões em pouco mais de 100 páginas me deixou extasiada. 

A Edição da Nemo também está primorosa e torna ainda mais envolvente a leitura quando há cores nas páginas, porque elas expressão o sentimento presente na história, são dicas sutis, mas geniais. Enfim, tenho absoluta certeza que até quem não gosta de GN/HQ vai amar esta história se tiver a oportunidade de conhecê-la, então, fica a dica!

2 comentários:

  1. Nooooossa, uma história em quadrinhos colorida, que coisa linda! Fiquei curiosa, tão bom se eu ganhasse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju,

      essa HQ foi incrível e a edição está primorosa, a Editora caprichou tanto. Adorei, adorei e me surpreendi tanto.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!