Filme: Para Todos os Garotos que Já Amei

 Saudações Leitores!
Existe um filme que é muito amorzinho e vocês também precisam conferir, provavelmente, muitos de vocês, até já assistiram, mas será que temos a mesma opinião? Vem conferir esse post de Para Todos os Garotos que Já Amei.

Para Todos os Garotos que Já Amei
Título Original: To All The Boys I've Loved Before
Direção: Susan Johnson
Ano: 2018
Duração: 100 min.
Gênero: Drama, Romance
País de Origem: Estados Unidos

Sinopse: Lara Jean é uma garota atrapalhada e ingênua, mas muito forte. Romântica, ela escreve cartas para os garotos por quem se apaixonou. Mas tem um detalhe: nunca as envia. Até que um dia essas cartas são misteriosamente enviadas aos respectivos destinatários, e a vida amorosa da garota toma outro rumo.


Francamente, estava todo mundo falando sobre esse filme e eu precisava conferir também! Mas demorei uns dias, pois primeiro fui ler o livro (Resenha AQUI) resultado: todo mundo tinha razão em estar falando, em ter ficado em polvorosa, em ter suspirado e indicado Para Todos os Garotos que Já Amei.
Não vou negar que o filme tem, como é bem normal, suas diferenças em relação ao livro, até porque  é necessário ter um elemento surpresa para chamar mais o público, não é mesmo? Só que, diferente de muitas adaptações que vemos por aí, as diferenças não estragaram o filme e tão pouco ficaram completamente infiéis a essência do livro. Ponto para a adaptação e para todos nós que fomos com sede ao pote, pois ligeiramente não morremos engasgados. Pelo contrário, terminamos o filme com vontade de dar replay por vezes e vezes incontáveis.
Logo, a escolha dos atores para interpretar os personagens foram incríveis, só não consegui gostar muito do ator John Corbett no papel do Dr. Covey, pai de Lara Jean, pois eu tinha feito uma outra imagem mental dele quando fiz a leitura do livro.
Mas escolher Israel Broussard para viver o Josh; Noah Centineo para viver Peter Kavinsky, Lana Condor, para dar vida a Lara Jean e Anna Carhcart e Janel Parrish como suas irmã Kitty e Margot foi a melhor coisa da vida. Até a Emilija Baranac ficou perfeita como a enfarosa Genevieve.
Considerando que no livro amei o Josh e até shippei ele com a Lara Jean, no filme rolou um shipper inverso, eu não conseguia imaginar Lara Jean senão com o incrível Peter Kavinsky, até porque a atriz e o ator que interpretaram o casal tinham uma química e sintonia que era a coisa mais linda de se ver na tela. JESUSCRISTINHO é impossível negar que o Noah Centineo (Peter K.) tem um charme que parece que vem de dentro, não tem como não ficar "arriada" por ele quando está sorrindo.
Eu já estava "gamada" no ator principal, já tinha amado o livro, portanto não necessitava de mais nada para eu continuar assistindo, só que eles me colocam de frente com a Lana Condor (Lara Jean) que é muito, muito, muito fofa e estabanada e cheia de indecisões que - acreditem em mim - não vão diminuir com o avançar da idade (sério, às vezes eu me sinto como se tivesse 15 anos e olha que já passei dos 2* há alguns anos), tal fato me fez ficar ainda mais apaixonadinha pelo casal, pelos personagens e a atuação fofínia dos atores.
Sobre as diferenças do filme em relação ao livro a principal é que muitas coisas são deixadas de fora (para caber dentro do filme) e, certo que não prejudicaram o filme, mas eu gosto de mais e mais detalhes, então, se você é como eu: deve dar uma chance ao livro (caso ainda não tenha lido), pois eu senti que o relacionamento entre a Lara e o Peter foi muito rápido do filme, já que alguns momentos que eles viveram ficaram de fora, inclusive um dia inteirinho em que os dois foram para um bazar/antiquário.
Confesso que senti um ligeiro incomodo com o fato de terem modificado a relação de Lara com o Josh, ex-namorado da Margot, mas também gostei dessa parte, no livro a relação das duas ficou meio estremecida por esse fato e, não me julguem, dá uma certa raiva da Lara Jean, mesmo entendendo a história dela. Ok, Ok. Falando do relacionamento familiar, eu super consegui me apegar muito mais a essa família após assistir ao filme, pois conseguimos sentir a união dos integrantes, sabe? Fantástico a química das atrizes que interpretaram as irmãs.
Para finalizar meu blá blá blá, sobre a maravilhosa adaptação preciso salientar que meio que teve uma coisinha que não gostei no filme: acrescentaram outro motivo para a Lara Jean ficar com raiva do Peter (tem a ver com a Gen) durante a viagem para o passeio escolar. Já não era suficiente o que tinham fofocado?
Tenho muita esperança de que, quem leu ou assistiu ao filme (um dos dois), dê uma oportunidade ao que ainda não experimentou, pois ambos são ótimos e dá uma visão melhor sobre os detalhes quando conferimos livro e filme. Acho que se completam.  Sério, senti uma nostalgia muito grande vendo e lendo Para Todos os Garotos que Já Amei, boas lembranças que tenho da minha adolescência. 

2 comentários:

  1. own esse filme é muito gracinha! eu tbm assisti uns dias atras no Netflix e apesar de ser esse estilo mais bobinho confesso que amei! hehe

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super, compreendo.
      É o tópico filme clichê, mas que tem algo mais capaz de encantar o telespectador. Eu achei fofura master!

      Recomendo o livro, ok? Tem muito mais informações e detalhes sobre a estória e os personagens.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!