Little Fires Everywhere (Série)

domingo, junho 28, 2020


Saudações Leitores!
Sempre que sei que algum livro vai sofrer adaptação (pra filme ou série) e que esse livro me despertou o interesse de leitura, procuro ler antes de conferir a série, para ter uma visão mais profunda e detalhada dos personagens e dos acontecimentos, porque sabemos que as adaptações nunca são fieis e deixam várias coisas de fora, certo?

Com isso em mente, tentei ler o livro bem antes da série, mas não consegui, então optei por esperar um pouco mais para assistir e ler o livro primeiro. Leitura feita (Resenha no Blog; Resenha no Canal). Série Assistida. Agora venho falar um pouco o que achei de Little Fires Everyhere (Pequenos Incêndíos por toda Parte).


Pequenos Incêndios por Toda Parte
Título Original: Little Fires Everywhere
Direção: Lynn Shelton, Michael Weaver, Nzingha Stewart
Duração: 465 (8 episódios)
Gênero: Drama, Thriller
Ano: 2020
País de Origem: Estados Unidos
Minha Avaliação: ⭐⭐⭐⭐
Sinopse: Um encontro entre duas famílias completamente diferentes vai afetar a vida de todos. A dona de casa perfeita Elena Richardson (Reese Witherspoon) aluga a casa de hóspedes à Mia Warren (Kerry Washington), uma artista solteira e enigmática que se muda para Shaker Heights com sua filha adolescente. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.

FIEL AO LIVRO?

Depois da última decepção que tive com a última adaptação de livro para série (essa AQUI), fui assistir Little Fires Everyhere com muita cautela e, talvez pela própria escritora do livro, Celeste Ng, estar envolvida no roteiro, a adaptação ficou bem fiel ao livro SIM. 👏👏👏👏👏

A essência do livro esta toda na série, as temáticas principais, a maternidade, os relacionamentos familiares, os fashbacks, o desenvolvimento do plot. Tudo estava ali, só que, claro, com menos detalhes já que adaptações tendem a "cortar" cenas e acrescentar outros detalhes para tornar a série mais enxuta e/ou comercial.

Porém, além de tudo o que está no livro estar presente na série, tivemos incrementos a mais: a representatividade, pois no livro Mia e sua filha Pearl são brancas, mas a série também optou por trabalhar temas raciais (importantíssimos, diga-se de passagem) e trouxe essas personagens como mulheres negras, o que coube muito bem e funcionou maravilhas, tornando o enredo da série ainda mais interessante.


Outra coisa que a série explorou com mais força e que, de fato, não foi realmente explorado no livro, posso até dizer que dava para interpretar algo do tipo, todavia a série explorou bem mais: foi a questão da sexualidade / opção sexual.

Como mencionei a série teve muita representatividade e ainda mais debates importantes, pois com certeza, a série pode chegar a um público maior e que originalmente não leria ao livro.

Caso você já tenha lido ao livro, mas não tenha conferido a série pode ir com o coração aliviado, Little Fires Everyhere está bem fiel, só que você consegue se envolver ainda mais com os acontecimentos se você tiver lido ao livro. Todavia, dá pra assistir de boa sem ter lido, ok?


O PROTAGONISMO FEMININO

Não posso deixar de mencionar que temos uma série em que um dos principais destaques é o protagonismo feminino. Claro que não estou dizendo que não temos personagens masculinos, temos e vários, porém não são eles que movem a série.

O mais comum quando vemos adaptações são mulheres apaixonadas e completamente dependentes dos namorados, maridos e homens em geral, porém, em Little Fires Everyhere foi explorado o universo feminino, as escolhas que as mulheres fazem, como elas agem, pensam, se comportam e como a pressão social e um "padrão" a ser seguido influencia a vida delas de modo que nem sempre conduz a felicidade, mas a uma prisão em "jaulas de ouro".

E temos aqui personagens femininas extremamente fortes e diferentes uma das outras, sejam elas as mães ou as filhas, porque absolutamente TODAS (das mais novas até as mais velhas) tiveram que fazer escolhas difíceis.

AS QUESTÃO DO RACISMO

As questões raciais que acabam promovendo um debate ou abertura para discussões, empatia e ver as histórias de outra perspectiva, foi algo apenas pincelado no livro, já que uma das filhas de Elena namorava com um garoto negro.

Porém, na série teve um destaque bem maior por Mia e Pearl serem negras, o que foi muito genial e que contrastou muito bem com o preconceito estrutural e enrustido dos Richardson, mostrando a forma como algumas pessoas e famílias "tradicionais" de classe média-alta acabam perpetuando preconceitos e racismo e agindo ou tentando se convencer de que não estão fazendo isso ou não são preconceituosos e nem racistas, porém, ainda não aceitam o diferente.

Bem século XXI mesmo, né? Ainda mais com todos os debates e movimentos raciais que estamos presenciando pelo mundo.


E OS ATORES? E AS ATUAÇÕES?

OMG, as atuações estavam geniais, impecáveis e pra ninguém botar defeito, e não estou falando só do elenco adulto e das maravilhosas Reese Witherspoon como Elena e Kerry Washington como Mia.

Mas creio que merece um destaque especial para os atores jovens que fizeram parte de Little Fires Everyhere. Estou imensamente feliz por terem escolhido um elenco jovem com atores que correspondem, realmente, com a idade dos personagens, porque isso dá mais coerência e fidelidade para a série (e para o livro).


Claro que devo dizer que, ao passo que amei isso e acho que todas as séries e filmes deveriam seguir esse padrão (até para dar oportunidade para atores jovens mostrarem seus talentos), fui arrebatada por um estranhamento muito grande.

Isso acontece porque o que estamos acostumados a ver em filmes e série são atores com 20-22-25 anos interpretando papéis de alunos de colegial, então quando você vê adolescentes interpretando papéis de adolescentes (que fazem sexo e tudo) é muito "UAU que estranho".

Porém, quando você para para pensar percebe que é isso mesmo e até pensa "Eu era assim quando tinha essa idade". Daí, só resta aplaudir de pé pela ótima e coerente escolha do elenco 👏👏👏👏👏


MEUS SENTIMENTOS COMO FICARAM?

Já deu para perceber que achei a adaptação maravilhosa, certo?

Mas eu acho que preciso também dizer que Little Fires Everyhere também tem um ritmo próprio, bem próximo ao livro - afinal se ela foi fiel ao livro teria que ter um ritmo semelhante - e, quem assistiu minha Resenha no Canal ou leu a Resenha no Blog sabe que não considerei o livro um dos mais fluidos, pelo contrário, em vários momentos foi uma leitura enfadonha, mas não foi ruim, deixei isso bem claro.

Então, deixe-me dizer que a série é bem mais empolgante, contudo, também passou a mesma sensação que senti com o livro o que, para mim, acabou sendo bastante positivo, já que gostei do livro e fiquei muito impressionada com o que senti e refleti durante toda a leitura, portanto, isso também aconteceu quando assisti a série e, obviamente, deixo aqui minha SUPER RECOMENDAÇÃO.



Você já assistiu a Little Fires Everywhere? Já leu ao livro?  Conte-me o que você achou!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Muito obrigada pelo Comentário!!!!