Resenha: “Eu, Você e a Garota que vai Morrer” de Jesse Andrews

Saudações Leitores!
Trago para vocês a resenha do livro Eu, Você e a Garota que vai Morrer, fiquei bastante curiosa a Respeito desse livro principalmente após saber que sofreria adaptação cinematográfica, aliás, supus previamente que ele seguiria a linha de sick-lits como ACEDE, Como Viver Eternamente, Zac & Mia etc, mas cometi um terrível engano...


Eu, Você e a Garota que vai Morrer, Jesse Andrews, Rio de Janeiro: Fabrica231, 2015, 288 pág.
Traduzido por Ana Resende

Me and earl and the dying girl: a novel (2012) é o primeiro livro de Jesse Andrews e em breve estará disponível a adaptação cinematográfica desse livro pela Fox Filmes.
Em Eu, Você e a Garota que vai Morrer não temos uma história fofinha e reflexiva que nos faz suspirar e chorar ou mesmo um romance. Não tem nada disso, claro que se buscarmos com afinco um motivo ou um sentido para este livro poderemos encontrar alguns pontos positivos, mas nem mesmo eles conseguem salvá-lo.
Temos o personagem principal chamado Greg que é absurdamente infantil, apesar de já estar no último ano do ensino fundamental e se preparando para entrar na faculdade.  Temos seu melhor amigo Earl que apesar de ser mais interessante que Greg é tão exótico quanto e tem sérios problemas familiares. Depois temos Rachel que se descobre com leucemia, ou seja, câncer no sangue e na medula óssea, isso é triste e ela vai passar por maus bocados e como o título já diz: irá morrer.
Greg descobre que Rachel está doente através da mãe dele, que pede que se aproxime da antiga amiga e tente animá-la, coisa que não é nada fácil para ele. Nesse ínterim Earl também passa a ser amigo da garota e os dois planejam fazer um filme em homenagem a ela. Aparentemente tudo vai sair errado e muito bizarro.
O fato de Eu, Você e a Garota que vai Morrer não ter dado certo foi os personagens, consigo colocar a culpa neles porque são idiotas e bobos demais para suas idades, são indiferentes e insensíveis ao sofrimento de Rachel, além do mais são tão egoístas que estão preocupados com a opinião dos outros. Isso é patético, não consigo imaginar "amigos" indiferentes a uma doença tão devastadora. Definitivamente, isso me incomodou bastante.
O enredo e a ideia aparentemente são ótimas: o livro não é focado na adolescente com câncer, mas nos amigos e familiares, no tentando, foi tão mal desenvolvido. Uma pena. 
Não estou dizendo que a leitura é ruim, acredito que a forma como o livro foi escrito: similar a um roteiro de filme (que podemos supor que seja o resultado final da homenagem de Greg para Rachel) torna a leitura "tragável", se não fosse assim, certamente eu não teria conseguido terminar esse livro, porque quanto mais eu lia, mas eu não via nada com nada nas ações dos personagens e, sobretudo, nos diálogos surreais e sem noção.
Para não dizer que o livro todo foi ruim, eu gostei das ultimas dez páginas, pois pude visualizar algo como o a realidade que a situação exige. Traduzindo meus sentimentos em relação a esse livro através de uma única palavra eu usaria: frustrante. Desse modo não vou indicar a leitura de Eu, Você e a Garota que vai Morrer, vou deixar que, caso leiam, seja por conta de seus próprios riscos.


2 comentários:

  1. Eu tive as mesmas impressões sobre esse livro que você: a ideia é ótima, mas a execução é terrível e foi um sacrifício para conseguir acabar de ler.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mari,

      graças a Deus você é da mesma opinião, estava pensando que o problema era eu e minha leitura, mas esse livro conseguiu me desagradar e não consigo pensar nem na hipótese re relê-lo.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!