Resenha: "As Crônicas de Nárnia: A Última Batalha (Crônica 7)" de C.S. Lewis

As Crônicas de Nárnia (Volume Único), C.S. Lewis, São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009, 752 pág. 
Crônica 7: A Ultima Batalha (627-737 pág)
Tradução: Paulo Mendes Campos
Ilustração: Pauline Baynes
COMPRAR: Amazon


A Última Batalha. Eis o último livro de As Crônicas de Nárnia e não será nada fácil falar sobre ele, pois estou particularmente e emocionalmente envolvida. Definitivamente, este é meu livro favorito da série, tanto pela história ser incrível, quanto por ela ter me deixado sofrendo, torcendo, angustiada com TODOS os acontecimentos do livro.

Todas as demais Crônicas: O Sobrinho do Mago, O Leão a Feiticeira e o Guarda-Roupa, O Cavalo e Seu Menino, Príncipe Caspian, A Viagem do Peregrino da Alvorada, A Cadeira de Prata, foram crônicas fabulosas, mas em alguns momentos ficavam um pouco monótonas, para logo em seguida arrancarem com os eventos e me deixarem viciadas, mas neste último volume, A Última Batalha, fiquei presa ao livro do começo ao fim.

"As estrelas nada dizem sobre a vinda de Aslam, nem sobre paz ou alegria. Pelos meus conhecimentos, sei bem que, nestes quinhentos anos, jamais ocorreu tão desastrosa conjunção de planetas. Já estava pensando em vir prevenir Vossa Majestade de que algum mal está por abster-se sobre Nárnia. Mas na noite passada ouvi rumores de que Aslam encontra-se Nárnia. Senhor, não acreditei nessa história. Não pode ser. As estrelas nunca mentem, mas os homens e os animais, sim. Se Aslam estivesse realmente vindo para Nárnia, os céus o teriam predito. Se ele estivesse mesmo por vir, todas as estrelas mais formosas estariam reunidas em sua homenagem. É tudo mentira!"
Em A Última Batalha vamos acompanhar os acontecimentos que levam a destruição de Nárnia, que é desencadeada pela falta de crença dos Narnianos, por terem esquecido de Aslan e suas características e pela ambição desenfreada de um Macaco que utilizando-se da ingenuidade de um Asno, acaba criando um "falso" Aslam e enganando a todos os Narnianos visando tão somente seus próprios interesses e benefícios.
"Melhor morrer do que viver com esse terrível temor de que Aslam voltou e não é nada parecido com o Aslam em que sempre acreditamos e por quem tanto esperamos. É como se de repente a gente acordasse e visse o sol nascer escuro..."
O Macaco, apesar de astuto, acaba se deixando envolver por mentes ainda mais malignas que a dele: dos Calormanos, que sempre foram inimigos de Nárnia, nesse ínterim disseminam o terror em toda o reino, escravizando, humilhando, deteriorando  e destruindo tudo e todos.
É assustador ver tudo isso acontecendo com um "mundo" tão paradisíaco e perfeito como Nárnia, fiquei com  coração na mão e ansiosa para que Aslam aparecesse e salvasse sua terra amada, ou mesmo que mandassem as crianças virem da Londres atual para salvar o mundo Narniano.

Também é angustiante ver que de crentes total, os Narniano se tornaram fantoches e acreditaram em falsos deuses, ou se tornaram ateus, sem entender e meditar sobre a verdadeira fé em Aslam e sobre a origem e a história de seu povo. Tudo fica perdido e é impossível não refletir sobre tudo o que está acontecendo e imaginar que quando Aslam voltasse ele viria com a sua ira e destruiria tudo, pois os Narnianos provocaram aquilo tudo, se deixaram levar ao fundo do poço (literalmente).
"Ninguém tentava consolar um ao outro com palavras. Naquele momento, não era nada fácil pensar em algo confortador para dizer. Tirian nunca imaginara que o fato de um macaco inventar um falso Aslan pudesse levar as pessoas a deixar de acreditar no verdadeiro Aslan."
Esse final da série nos remete a muitos acontecimentos bíblicos, nos faz lembrar valores como lealdade, amizade, fé, ambição, consumismo, traição e uma vida após a morte que espera a todos nós.
"_Finalmente voltei para casa! Este, sim, é o meu verdadeiro lar! Aqui é o meu lugar. É esta terra pela qual tenho apurado a vida inteira, embora até agora não a conhecesse. A razão por que amávamos a antiga Nárnia é que ela, às vezes, se parecia com isto aqui."
Para falar bem honestamente, apesar de ter ficado bem triste com a destruição de Nárnia foi incrível a reunião dos personagens que amamos, as lembranças as maravilhas e toda a fantasia e espiritualidade que o volume todo sucinta.
Sem dúvida, A Última Batalha é um dos livros mais tristes de todas as Crônicas, mas também tem um quê de esperança acerca de um pós-Nárnia ainda mais cheio de aventuras, emoções e felicidade para todos que amaram Nárnia e acreditaram com o coração e alma em tudo que viviam ali. Estou encantada e gostaria de reler todas As Crônicas de Nárnia como se fosse a primeira vez, sendo que agora eu capitaria muito mais as mensagens. Fantástico. Perfeito.
"Lembre-se de que todos os mundos chegam ao fim. E uma morte nobre é um.tesouro que ninguém é pobre demais para comprar."


0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!