Resenha: "Pretty Guardian Sailor Moon - Vol. 8" de Naoko Takeuchi

Pretty Guardian Sailor Moon - vol. 8, Naoko Takeuchi, São Paulo: JBC, 2014, 240 pág
Tradução: Arnaldo Massato Oka

Saudações Leitores!
Nem acredito que terminei a leitura do vol. 8 de Pretty Guardian Sailor Moon e que este mesmo volume foi eletrizante do começo ao fim. Aliás, faltam poucos volumes para terminar toda a série, não se se já começo chorar de saudade ou fico feliz por conhecer todos os volumes... O que faço?

Aqui no blog tem resenha dos volumes anteriores e vocês podem conferir caso tenham curiosidade de saber minha opinião sobre cada volume: Vol. 1Vol. 2Vol. 3Vol. 4, Vol. 5 e Vol. 6 e Vol. 7.  Aliás, temos também as resenhas de Sailor V  vol.1 e vol.2. 
Em Pretty Guardian Sailor Moon vol. 8 vamos acompanhar o encerramento do arco "Infinito" e sabemos que nem tudo está bem para as guerreiras Sailors, na resenha passada (Vol. 7) até expus minha preocupação sobre se todas as Sailors ficariam bem durante este arco.

Portanto estamos no ápice da batalha na Zona Triangular em que o processo de fusão do inimigo, Pharaoh 90, com a terra está a toda velocidade e mesmo diante dessa batalha, também vamos acompanhar a luta interior de Hotaru que tenta a todo o custo proteger Chibiusa e o Cristal de Prata, mas seu corpo não está aguentando toda a pressão das investidas do mal.
Aliás uma das cenas mais bonitas neste volume é protagonizada por Chibiusa e Hotaru, pois a força da amizade e responsabilidade estão muito presentes nessas duas personagens e há uma cena incrível da despedida entre Hotaru e Chibiusa, pois para proteger sua amiga ela deixa-se perecer.
"Existem destinos que causam tanta dor e existem pessoas que precisam viver para carregar esse destino."
Mais forte, Chibiusa, juta-se as outras Sailors para lutar contra o inimigo, mas não tem muito resultado, é nesse ínterim que a Sailor Saturn desperta para dar fim a tudo. No entanto, Sailor Pluto e Sailor Moon, conseguem ver em Sailor Saturn muito mais do que uma guerreira fria e vingativa, e toda essa compreensão leva a um momento de destruição e renascimento que são bem mais semelhantes do que se supõe e também são símbolos de Saturno. O desfecho é incrivelmente surpreendente e lindo!
O mais incrível é que neste vol. 8 as Guerreiras Sailors do eixo central passam a ter uma relação melhor com as Novas Sailors, mas é bem quando finaliza o arco "Infinito" e elas vão 'embora". Haruka, Michiru, Setsuna e Hotaru prometem que serem estarão conectadas, afinal são todas Sailors, mas dá uma nostalgia se despedir delas.

Contudo, acho que a saída das novas Sailors veio a calhar, pois as Sailors do eixo central estavam ficando bem para escanteio e agora elas voltaram é ser o centro.
Para finalizar o vol. 8 temos a introdução de um novo arco, chamado "Sonhos" que começa quando todas as guerreiras voltaram para as suas rotinas e Chibiusa decide voltar ao século 30, no entanto, no meio de sua "volta para casa", ela, Usagi e Mamoru presenciam um Eclipse Solar e com ele a aparição de um Cavalo Alado, um barco voado que traz o "Circo Dead Moon" e Mamoru passa a sentir fortes dores no peito.

É nessa confusão da aparição do Circo Dead Moon, que nada mais é do que um novo inimigo, habitantes da Lua Nova, rivais do Reino da Lua Branca (o mesmo das Guerreiras Sailors) que os sonhos das nossas guerreiras vão se tornar realidade, o que pode ser bom, mas também pode ser ruim, afinal, nem todos os sonhos são doces.
É aqui que Usagi e Chibiusa trocam de corpo (Usagi vira a criança e Chibiusa a adulta), pois no íntimo de cada uma era um desejo escondido que tinham. O que será que vai acontecer? Juro que não faço a menor ideia, mas estou ansiosa para saber... vamos combinar o final desse volume só me deixou com o desejo de iniciar a leitura do próximo imediatamente... Que final foi esse? Chocada.
"Não precisam perder as esperanças. A esperança e a renovação sempre acompanham o fim."

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!