Resenha: "Pretty Guardian Sailor Moon - vol. 12" de Naoko Takeuchi

Pretty Guardian Sailor Moon - vol. 12, Naoko Takeuchi, São Paulo: JBC, 2014, 280 pág
Tradução: Arnaldo Massato Oka
COMPRAR: AmazonBox na Amazon

Saudações Leitores!
Pretty Guardian Sailor Moon, vol. 12 continua, exatamente de onde parou o vol. 11, no entanto, este volume não vai finalizar apenas o Arco Estrela, mas também a série de mangás da Sailor Moon escritos por Naoko Takeuchi. Os volumes anteriores, já foram resenhados aqui no blog: Vol. 1Vol. 2Vol. 3Vol. 4, Vol. 5 e Vol. 6, Vol. 7Vol. 8, Vol. 9Vol. 10 e Vol.11. Como também um especial de dois volumes de Sailor V  vol.1 e vol.2. 

Para quem tem acompanhado minha trajetória lendo Pretty Guardian Sailor Moon, sabe o quanto tenho ficado empolgada a cada volume, um misto de curiosidade para saber como terminaria e saudosismo por me despedir da série. Contudo, vocês devem ter percebido que o volume anterior (vol. 11) foi um "cadim" decepcionante, mas decidi partir - quase imediatamente - para a leitura do volume seguinte e saber como essa série terminaria e se eu conseguiria gostar desse arco e desse fim. MEUDEUSDOCÉU.

Chegar ao fim de Pretty Guardian Sailor Moon, vol. 12 foi um grande desafio, pois este volume conseguiu ser ainda pior que o volume anterior e me pergunto o que diacho a Naoko Takeuchi estava usando na hora que criou esses dois volumes do mangá. Todos os acontecimentos desses dois últimos volumes, foram altamente bizarros e surreais demais até mesmo para um mangá de ficção fantástica.

Vejo uma qualidade maior nos desenhos, no traçado da mangaka, mas senti um vazio fenomenal nos detalhes de ambientes, e sobretudo no enredo sem pé nem cabeça. Fiquei com o triste sentimento de que uma série de mangás tão boa, tão extensa, ou seja, com espaço suficiente para um desenvolvimento de qualidade, merecia um final melhor.
Pretty Guardian Sailor Moon, vol. 12 vem cheio, abarrotado de muitas e muitas batalhas, além de muitas e muitas mortes, praticamente todo mundo morre, todos os nossos amados personagens, nossas amadas guerreiras, mas não é só isso que choca: aparecem ainda mais e mais guerreiras Sailors e parece que ao virar de cada página seremos apresentados a mais guerreiras. Naoko Takeuchi não teve limites! Céus!

Há um esbagaçado muito grande neste volume e beirou ao mais bizarro quando a própria Sailor Moon tenta salvar a Sailor Galáxia que era a inimiga, mesmo sabendo que ela matou praticamente todas as suas amigas e namorado.  É nesse momento que descobrimos que tem um inimigo ainda pior. E como eu fiquei nesse momento? "QUE DIABOS É ISSO, MANO?", berrei, estrebuchei e não quis acreditar em mais esse absurdo acontecendo a poucas páginas do fim, mas segui lendo.
Confesso que não vi solução para a melhora desse mangá em nenhum momento, o choque maior é que eu já estava torcendo para que todo mundo morresse e tudo se acabasse, mas aí de maneira mais surreal e intragável (simplesmente não fui capaz de comprar esse final) todo mundo que morreu ressuscitou e tivemos até direito a um casamento!

Respirei profundamente com esse final, não gostei, pareceu falso, sabe? Desmerecedor da série... Eu precisava de algo mais para mudar minha opinião. A sorte é que temos ainda dois volumes de Short Stores para ler... Vou ver o que acontece... Vou segurar minhas expectativas para não dar merda. Enfim. Foi isso.

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!